Ao valorizar imóveis, Itaquerão tende a expulsar pobres de São Paulo — Rede Brasil Atual

São Paulo – O urbanista Kazuo Nakano, do Instituto Pólis, critica a falta de medidas que controlem a tendência de valorização imobiliária em Itaquera, na zona leste da capital paulista, devido à construção do estádio do Corinthians. O aumento de preços pode dificultar a permanência da população mais pobre no local, empurrada para outros municípios da Grande São PauloA arena é a opção da prefeitura e do governo do estado para receber partidas da Copa do Mundo de futebol de 2014 em São Paulo. Para sua construção, a administração de Gilberto Kassad ex-DEM, rumo ao PSD deve conseguir a aprovação de incentivos fiscais na Câmara Municipal. Nakano afirma que parte da zona leste já vive mudança de perfil populacional. Com uma nova onda de especulação, o fluxo tende a aumentar. “Bairros de cidades como Ferraz de Vasconcelos, Suzano e Itaquaquecetuba vêm enfrentando taxas de crescimento cada vez mais altas. Os menos favorecidos migram para esses municípios da região metropolitana, expulsos por essa valorização imobiliária”, constata.Segundo o urbanista, há maneiras de evitar uma elevação tão acentuada de preços de imóveis, por meio de condições e exigências que regulem o uso e a ocupação do solo. Um exemplo disso são as chamadas zonas especias de interesse social Zeis, áreas separadas para habitações de população de renda mais baixa.As isenções de Imposto sobre Serviços ISS e Imposto Predial e Territorial Urbano IPTU pela prefeitura de São Paulo são insuficientes para atrair outros investidores para o entorno do estádio. Essa capacidade depende mais da forma de gestão. Nakano defende que o estádio seja usado para outros fins, além do futebol. A conversão de estádios em arenas multiuso é apontada também por outros especialistas como uma forma de tornar o empreendimento mais lucrativo.O urbanista do Pólis acredita que, apesar de a obra ser controlada por grupos privados, é possível realizar eventos e ajudar a consolidar Itaquera como um polo de atividades culturais. Isso depende de o aluguel do local não vir a ser muito elevado após concluído.

via Ao valorizar imóveis, Itaquerão tende a expulsar pobres de São Paulo — Rede Brasil Atual.

Anúncios
Esse post foi publicado em Copa do Mundo, Gentrificação. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Ao valorizar imóveis, Itaquerão tende a expulsar pobres de São Paulo — Rede Brasil Atual

  1. Maria Angela disse:

    Gostaria de refletir um pouco sobre este comentário: “Os menos favorecidos migram para esses municípios (da região metropolitana), expulsos por essa valorização imobiliária”,
    O verbo expulsar significa Repelir ou fazer sair à força alguém ou alguma coisa: expulsar um inimigo.Desterrar, degredar, exilar: expulsaram-no do país.De acordo com a frase o agente da ação expulsar é a valorização imobiliária.Ou seja , valorização imobiliaria não é um ser, mas uma característica do mercado que foi determinada por investimentos públicos e privados ( no caso em análise). Penso que estudar um pouco sobre como funciona o mercado e a valorização dos imóveis urbanos faria muito bem aos urbanistas para deixar de querer achar um culpado para os ” problemas” urbanos que “eles” pensam que tem que resolver como se resolve um projeto de uma casa na “prancheta”. Para alguns urbanistas como estes que pensam desta forma , de preferencia os culpados são os investidores , ou seja alguém que se dispõe a construir, ariscar-se, empreender, trabalhar por algo que beneficia a sociedade como um todo. E acrescenta ainda: “A conversão de estádios em arenas multiuso é apontada também por outros especialistas como uma forma de tornar o empreendimento mais lucrativo.” Com certeza o empreendedor já devem ter levado em consideração o que estes ” especialistas ” dizem pois nenhum empreendedor quer empreender para ter prejuizos!Será que eles não sabem disto?Será que um empreendimento deste porte não foi precedido de um um estudo de viabilidade econômica?Outro comentário surpreendente: “Isso depende de o aluguel do local não vir a ser muito elevado após concluído.”Mais uma vez , está na hora destes urbanistas investirem mais na sua formação na área econômica para compreenderem que o que determina os preços de aluguel também é o mercado e que este mercado não é um senhor barbudo que fica dizendo o preço deve ser este ou aquele, mas uma série de fatores que contribuem para a elevação ,mas principalmente os investimentos realizados.Se os investimentos são públicos, para isto servem os impostos entre estes as contribuições de melhorias.

    • Maria Angela disse:

      Existe uma lei natural:oferta e demanda.Enquanto o poder público não fizer o seu papel de estado que é ofertar os investimentos públicos em transporte de qualidade , infraestrutura urbana e ao invés disto ficar fazendo casinhas, que não é função de estado, o problema de periferização em áreas sem investimentos vai continuar. A valorização imobiliária não expulsa, muito pelo contrário,atrai. A oferta atrai a demanda. A oferta é pequena, os preços são altos e atrativos para aqueles que ocuparam sem pagar nada e por isto não valorizam e passam para frente . Se existe uma demanda enorme de terras urbanizadas é nesta área que o estado deve investir com os impostos para atender esta demanda e evitar a gentrificação por falta de terras urbanizadas e serviços e transportes públicos de qualidade.De resto, incentivar os investimentos tanto para gerar emprego quanto para promover a produção de habitação para atendimento desta demanda .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s